13/03 - 11/04​
ONLINE E GRATUITA

04/04 | DOMINGO | 18H

BATE-PAPO
O Cinema Feminino e Sua Pluralidade - Brasil

 🇧🇷 Sinopse: Cada vez mais é importante que as narrativas audiovisuais sejam feitas por grupos e/ou etnias que por muito tempo foram invisibilizadas ou caladas. Neste bate-papo, iremos conversar com três cineastas mulheres que representam a pluralidade do feminino no “fazer cinema”. 

Mediação: Mario Costa
Editor e Montador

Mário Costa, preto e indígena de ancestralidade, atua no audiovisual amazônida e brasileiro há mais de 25 anos. É apaixonado pela arte da montagem, mas já experimentou outras funções, como roteirista, produtor executivo e diretor. Fez Produção Executiva em Cinema na AIC-SP e possui especialização em DaVinci Resolve e FInal Cut X pela NFT-SP. Mas também domina o Adobe Premiere. Já colaborou com várias produtoras em Belém, Macapá e São Paulo.  Agora, está em Bagé-RS, na Bezier Filmes. Possui uma produtora de conteúdo na Amazônia, Macieira Filmes, que já produziu curtas, longas, clipes e documentários (vimeo.com/macieirafilmes).

Dentre seus trabalhos se destacam:
“Sou teu Maninho” – Projeto Revelando os Brasis / Marlin Azul e Canal Futura – 2008

Montagem e Finalização;
“Tribo de Jah – Live in Amazon” – DVD – 2010

Montagem e Finalização;
“Mora na Filosofia” – Documentário / TV Cultura Pará – 2011

Montagem;
“Manari – Sons da Floresta” – Sonora Pará / TV Cultura Pará – 2016

Produção Executiva, Montagem e Colorização;
“Antigamente Não Existia Dia” – Macieira Filmes – 2017

Produção Executiva, Montagem, finalização e Desenho de Som

Prêmio de Melhor Desenho de Som no Festival Olhar do Norte (AM) – 2018;
“Experiência Circular – Encontros e Afetos no Centro Histórico de Belém” – 2017

Direção, Roteiro e Montagem;
Série “Sabores da Floresta” – Marahu Filmes/Canal Futura – 2020

Montagem;
Sempre em busca do frame perfeito, acredita e luta pela inserção cada vez mais forte da oralidade preta e indígena nos conteúdos audiovisuais. É membro/fundador do CRIA, Coletivo de Realizadores Independentes do Audiovisual da Amazônia e participou da campanha em prol da Lei Milton Mendonça, a lei do audiovisual paraense. Também faz parte do Coletivo Macumba Lab no RS.

Mariani Ferreira – Roteirista

É diretora, roteirista e produtora. Começou sua carreira profissional como trabalhadora doméstica e operária em fábrica de calçados. Formada em Jornalismo, atuou como crítica de cinema e repórter de Cultura. É diretora e roteirista do curta de ficção “Léo”, exibido em Cuba, no Festival Del Nuevo Cine Latino Americano de La Havana, e no México, dentro do Festival Internacional de Cinema de Guadalajara. É produtora executiva e roteirista do documentário “O Caso do Homem Errado”. Além disso, atua como roteirista da série “Necrópolis”, sitcom que está sendo exibida pela Netflix. Atualmente, trabalha como roteirista na Globo e membro-fundadora do Coletivo Macumba Lab.

Julia Katharine Okada – Cineasta, Roteirista e Atriz

Julia Katharine é cineasta, roteirista e atriz, ganhadora do prêmio Helena Ignez de melhor atriz, na Mostra de Cinema de Tiradentes (2018), pelo filme “Lembro Mais dos Corvos”, direção de Gustavo Vinagre, do qual também é corroteirista. Diretora, roteirista e atriz do curta “Tea For Two” (2019), vencedor do Prêmio Guarani de melhor curta-metragem.

Graciela Guarani – Cineasta, Curadora e Produtora Cultural

Pertencente à nação Guarani Kaiowá, Graciela é produtora cultural, comunicadora, cineasta, curadora de cinema e formadora em audiovisual. Uma das mulheres indígenas pioneiras em produções originais audiovisuais no cenário Brasileiro. Tem um currículo que inclui direção e roteiro em 8 curtas-metragens, uma série de vídeos-carta “Nhemongueta Cunha Mbaraete “ (IMS/RJ), co-direção no longa My Blood is Red (Needs Must Film),  formadora no Curso Mulheres Indígenas e Novas Mídias Sociais- da Invisibilidade ao acesso aos direitos pela @onumulheresbr e TJ/MS – MS 2019, cineasta facilitadora na Oficina de Cinema – Ocupar a Tela: Mulheres, Terra e Movimento pelo IMS e Museu do Índio – RJ 2019. Convidada como debatedora da Mesa redonda Internacional de Mulheres na Mídia e no Cinema na 70a Berlinale – Berlin International Film Festival 2020 – @berlinale.

🇺🇸 ENGLISH

Chat
Female Cinema and Its Plurality – Brazil

Date: 04/04/21 – Sunday
Time: 6pm

Synopsis: It is increasingly important that audiovisual narratives are made by groups and / or ethnicities that have long been invisible or silent. In this chat, we will talk to three female filmmakers who represent the plurality of the female in “making cinema”.

Mediation: Mario Costa
Editor

Mário Costa, black with indigenous ancestry, has worked in the Amazonian and Brazilian audiovisual for more than 25 years. He is passionate about the art of editing, but has already tried other roles, as a screenwriter, executive producer and director. He attended Executive Production in Cinema at AIC-SP and has a specialization in DaVinci Resolve and Final Cut X by NFT-SP. But he also works well with Adobe Premiere. He has collaborated with several producers in Belém, Macapá and São Paulo. Now, he is in Bagé-RS, at Bezier Filmes. He owns a content producer in the Amazon, Macieira Filmes, which has produced short, feature films, clips and documentaries (vimeo.com/macieirafilmes).

Among his works, the following stand out:
“Sou seu Maninho” – Project Revealing the Brazis (plural of Brazil) / Marlin Azul and Canal Futura – 2008

Editing and Finalization;
“Tribe of Jah – Live in Amazon” – DVD – 2010

Editing and Finalization;
“Mora na Filosofia” – Documentary / TV Cultura Pará – 2011

Editing;
“Manari – Sons da Floresta” (Manari – Sounds of the Forest) – Sonora Pará / TV Cultura Pará – 2016

Executive Production, Editing and Colorization;
“Antigamente Não Existia Dia” (In the past there was no day) – Macieira Filmes – 2017

Executive Production, Editing, Finishing and Sound Design

Best Sound Design Award at the Olhar do Norte Festival (AM) – 2018;
“Circular Experience – Meetings and Affections in the Historic Center of Belém” – 2017

Direction, Script and Editing;
“Flavors of the Forest” series – Marahu Filmes / Canal Futura – 2020

Editing;
Always in search of the perfect frame, he believes in and fights for the ever stronger insertion of black and indigenous orality in audiovisual content. He is a member / founder of CRIA, the Collective of Independent Directors of Audiovisual in the Amazon and participated in the campaign in favor of the Milton Mendonça Law, the Pará audiovisual law. He is also part of the Macumba Lab Collective in RS.

Mariani Ferreira – Screenwriter

She is a director, screenwriter and producer. She began her professional career as a housekeeper and shoe factory worker. Graduated in Journalism, she served as a film critic and Culture reporter. She is the director and screenwriter of the short fiction “Léo”, shown in Cuba, at the Festival Del Nuevo Cine Latino Americano in La Havana, and in Mexico, within the Guadalajara International Film Festival. She is an executive producer and screenwriter for the documentary “O Caso do Homem Errado” (The case of the wrong man). In addition, she acts as a screenwriter for the series “Necrópolis”, a sitcom that is being shown by Netflix. Currently, she works as a screenwriter at Globo and founding member of Coletivo Macumba Lab.

Julia Katharine Okada – Filmmaker, Screenwriter and Actress

Julia Katharine is a filmmaker, screenwriter and actress, winner of the Helena Ignez award for best actress, at the Tiradentes Cinema Exhibition (2018), for the film “Lembro Mais dos Corvos” (I remember the crows better), directed by Gustavo Vinagre, of which he is also a co-writer. Director, screenwriter and actress of the short “Tea For Two” (2019), winner of the Guarani Award for best short film.

Graciela Guarani – Filmmaker, Curator and Cultural Producer

Belonging to the Guarani Kaiowá nation, Graciela is a cultural producer, communicator, filmmaker, cinema curator and audiovisual trainer. One of the indigenous women who pioneered original audiovisual productions in the Brazilian scene. She has a curriculum that includes direction and script in 8 short films, a series of video-letters “Nhemongueta Cunha Mbaraete“ (IMS / RJ), co-director in the feature My Blood is Red (Needs Must Film), trainer in the Indigenous Women Course and New Social Media- from Invisibility to access to rights by @onumulheresbr and TJ / MS – MS 2019, filmmaker facilitator at the Cinema Workshop – Occupy the Screen: Women, Earth and Movement at IMS and Museu do Índio – RJ 2019. Invited as a debater for the International Round Table of Women in Media and Cinema at the 70th Berlinale – Berlin International Film Festival 2020 – @berlinale.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp